top of page
  • Foto do escritorCibele Miranda

OBLIVION

Atualizado: 20 de fev.



Você já pensou em recomeçar sua vida do zero? Dá um reset em suas lembranças? Poderia até ser bom poder eliminar experiências que não foram tão boas, mas como isso refletiria em sua família e amigos? É isso que Oblivion nos conta.


Anna é uma garota como outra qualquer, com alguns amigos, um gato, um smartdrone (que seus pais te deram para facilitar a vida, nos afazeres da casa), um emprego que ela não gostava muito, um chefe que era só cobrança em cima de cobrança, diante dessa situação Anna já estava cansada da vida que levava. Até que ela descobriu uma técnica que apagaria sua memória e ela poderia começar uma nova história e nova vida.






Tudo pronto para o procedimento, Anna já estava na sala de cirurgia, anestesiada em um ato de arrependimento começou a balbuciar" Não quero mais ". Quando ela acordou, descobriu que a cirurgia não foi realizada, pois uma enfermeira percebeu o que ela estava falando, e seu smartdrone também tentou impedir.





Assim, a vida de Anna estava voltando nos eixos, tentando outro emprego e ajustar novamente sua vida, sabendo que terá dificuldades, mas desistir não é a solução. Fica uma reflexão de que nada é tão fácil e simples, mas, precisamos persistir para que a vida possa nos trazer bons frutos, e é uma ótima dica de leitura, vale a pena conferir, disponível no Kindle Unlimited.




SOBRE OS AUTORES:

Fabrício Martins

Leitor voraz de quadrinhos e literatura desde sempre, se apropriou dessas artes como objeto de pesquisa durante o Mestrado em Relações Internacionais. Já escreveu diversos artigos e capítulos de livros sobre quadrinhos nos últimos anos. Em 2017, produziu seu primeiro quadrinho autoral, inspirado na obra de Bill Watterson. Possui a pior memória do mundo, mas se lembra de todos os filmes que assistiu, quem atuou e quem dirigiu cada um deles, até lembra algumas falas de cor. É um mistério!




Laura Jardim

Laura é ilustradora e tatuadora de BH. Ex-aluna do curso técnico em artes visuais da Casa dos Quadrinhos, onde ingressou com a ideia de trabalhar com ilustração editorial. Mas foi através da tatuagem que encontrou uma forma de se expressar e desenvolver um estilo próprio. Gosta de explorar traços mais delicados e linhas soltas, com um toque de cor. Apesar de não guardar nomes muito bem, se orgulha de ter uma memória infalível para fisionomia. Se ela te ver uma vez, vai se lembrar do seu rosto para sempre!



Gostou do nosso conteúdo? Que tal apoiar o Yellow Talk? O Yellow também é podcast, e seu apoio pode ajudar o nosso trabalho a crescer cada vez mais. A partir de R$2,00 você já vai estar contribuindo para manutenção do nosso programa. Para dar o seu apoio, basta clicar AQUI.


8 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page