top of page
  • Foto do escritorMonique Mazzoli

Deslocados| Primeiro quadrinho de Leonardo Pascoal em Pré-venda

Atualizado: 1 de set. de 2023

Vamos falar de lançamento? Sejam muito bem vindos ao mundo de Deslocados, primeiro quadrinho de Leonardo Pascoal.


Deslocados está em pré-venda, o quadrinho conta com 23 histórias que saíram direto das webcomics publicadas em seu site “Inteligível” nos últimos 10 anos, ganhou sua versão impressa e agora está saindo pelo Selo Café Espacial.



SINOPSE


Um rapaz que não sai de casa desde os 5 anos, um espelho misterioso que parece refletir outra dimensão e uma garota que possui, literalmente, pés de galinha. Essas são algumas das histórias exploradas por Leonardo Pascoal em Deslocados, seu primeiro álbum em quadrinhos.


Publicados originalmente no site inteligivel.com — e com duas indicações ao Troféu HQMIX —, os quadrinhos ganham agora uma versão definitiva.


Adentre nesse mundo de realismo fantástico criado por uma mente observadora e inquieta. Em meio a narrativas kafkianas e inigualáveis, você vai encontrar histórias de pessoas comuns, tais quais eu e você, que vivenciam momentos decisivos, engraçados, reflexivos ou de horror, com visões e experiências insólitas.



PRÉ-VENDA


O quadrinho será lançado oficialmente na Bienal de quadrinhos de Curitiba, mas já se encontra em pré-venda no site do Café Espacial, e também na lojinha de Leonardo no site Inteligível por apenas R$38,00 e frete grátis usando o cupom “DESLOCADOS”.


O AUTOR


Para conhecermos um pouco mais do processo criativo de “Deslocados”, perguntei ao Leonardo quais foram suas inspirações para criação dessas histórias que vocês estão prestes a conhecer, confira:


Leonardo Pascoal


Por mais que no fundo eu tivesse a vontade de publicar essas histórias em um livro no futuro, no momento em que eu estava escrevendo e desenhando cada uma eu só pensava nela própria. Não forcei ou me limitei a uma temática ou estilo narrativo ou de desenho, embora saiba que seja difícil a gente fugir da gente mesmo, das nossas limitações, dos nossos gostos e desejos: acredito que seja nesse lugar que está o que chamamos de voz, ou de estilo. É o lugar do qual, por mais que tentamos, não conseguimos fugir.


Ao longo do tempo que elaborei essas histórias, pensei ter feito narrativas muito distintas entre si. Seja em temática, seja no traço mesmo. Porque havia a vontade genuína de experimentar, e de tentar sair da minha zona de conforto (que eram as tiras em quadrinhos)

e explorar histórias um pouco maiores. Mas foi quando finalmente reuni as melhores HQs, ou as que mais gostava, e li todas numa sequência, é que percebi que havia algo forte que as unia: os personagens. Os personagens, embora distintos entre si, tem uma característica

em comum: todos parecem estarem 'deslocados' do mundo que os cerca.


Como seria isso? Eu estava pensando e lembrei de quando fui escrever uma história para a extinta revista MOSH!, com temática rock'n'roll. Por mais que a temática seja familiar, eu não consigo fazer uma história sobre uma festa e um monte de gente se divertindo. Eu vou olhar pra uma festa e o que vai me chamar a atenção não é o palco principal, ou as pessoas felizes. Normalmente vou me interessar pela pessoa que está no canto, se sentindo um peixe fora d'água. É esse tipo de personagem que normalmente aparece nessas histórias. Nesse caso da revista MOSH! acabei escrevendo uma história sobre um cara que vai num bar sozinho e acaba permanecendo sozinho sendo 'humilhado' pela galerinha descolada que frequenta o lugar.


Claro, isso é minha visão sobre as histórias. Não sei se o leitor vê da mesma forma. 🙂


Quanto ao fato de que muitas dessas histórias flertarem com realismo fantástico e, em alguma medida, com o terror, acredito que seja uma preferência como leitor refletida nos enredos.


Gosto muito do universo de escritores como Julio Cortázar (Todos fogos o fogo, Bestiário), Lourenço Mutarelli (há muito realismo fantástico em suas obras, mas O cheiro do ralo, A caixa de Areia, Jesus Kid e Mundo Pet são as que mais gosto) e cineastas como David Lynch (tudo), M. Night Shyamalan (quase tudo), David Cronenberg (as primeiras obras até eXistenZ) e o roteirista e diretor Charlie Kaufman (tudo), sempre me encantaram. Nos quadrinhos há muita gente que gosto, mas que tem alguma relação com o tipo de história que gosto de escrever, posso citar o Charles Burns (Big Baby, Black Hole e Sem volta), Mazzuchelli (com a adaptação de A Cidade de Vidro), o canadense Michael Deforge (com sua revista LOSE) e Max Andersson (com PIXY).



Deslocados terá 96 pg. Miolo preto e branco. Formato 17×24 cm. Para adquirir o seu exemplar clique AQUI.


E então? Curtiram? Eu amei, e confesso que já estou super ansiosa para conhecer essa história. Não percam a chance de conhecer!


Confira o vídeo que Leonardo fez para elucidar um pouco dessa história fantástica.




59 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Comments


bottom of page